Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

domingo, 10 de fevereiro de 2013

É PRECISO CORRIGIR DISTORÇÕES NA EDUCAÇÃO INFANTIL, EM TODOS OS SENTIDOS...




Anônimo disse...

"Porque os monitores de Paraíba do Sul tem carga horária diferente e piso salarial diferente?O cargo e o mesmo,;isto sim e inconstitucional.se querem que permaneçam desta forma,pois então paguem a diferença para aqueles que trabalham 8 horas e passem todos para a educação,uma vez que ficamos em sala de aula sem poder sair durante 8 horas por dia."  


Em Angra nós tivemos um caso parecido, com funções semelhantes,  o auxiliar de recreação trabalhava sete horas, enquanto o de berçário oito horas por dia, havia um pequeno acréscimo de salário,mas mesmo assim, para quem trabalha em creche sabe que uma hora a menos faz muita diferença. Houve a correção e hoje todos vivem em paz.

Procure a Secretaria de Educação de Paraíba do Sul-RJ, além de entrar com um processo administrativo(a princípio)para corrigir essa distorção, exijam a  correção da carga horária e  a isonomia salarial, pois se há a equivalência de funções, não deve haver distinção de vencimentos, isto está previsto na legislação.

Queremos agradecer a participação dos colegas da região sul fluminense, esse era um antigo apelo, uma vez que queremos cada vez mais nos fortalecer a nível de Estado, infelizmente esse contato era quase nulo, mas agora temos percebido a adesão ao movimento,  não somente aqui nesse espaço( mesmo no anonimato), como nas redes sociais. É isso aí, quem poderá nos parar se estivermos unidos e embasados? Nossa valorização depende de vontade política somente e sabemos que "números" são muito importantes na política...


Abraços!

4 comentários:

Ingrid Nágila Fernandes disse...

Olá preciso de uma ajuda quanto á uma dúvida, fui chamada para ser ADi em uma creche municipal através do concurso que fiz, estou cursando o 2º ano de pedagogia e tenho o 2º ano do magistério completo, mas me disseram que preciso de um registro no conselho ou órgão de classe. Por favor, gostaria de saber se isto é necessário mesmo, e se for como a consigo? Me enviem respostas no e-mail ingrid.css@hotmail.com ou por esta página mesmo. Obrigada.

Manoel José de Santana(Manoel Limoeiro) disse...


Carta a redação da Folha de Pernambuco, publicada hoje


Parabéns às mulheres
Parabéns neste oito de março, merecidamente festejado como o Dia Internacional da Mulher. O Dia é dela, que tem uma responsabilidade importante na sociedade. Lembrando que a população feminina no País é maior do que a masculina. Vivemos, atualmente, num mundo marcado pela violência. A cada ano, no Brasil, muitas mulheres são assassinadas por maridos e companheiros que convivem com elas no mesmo lar. Vamos lutar para mudar essa triste realidade.
Manoel Limoeiro de Roda de Fogo - Recife/PE CEl. 81-84088231 ou 81-94608639 e 81-81898506. 81-97757386..


Visite o Blog comunitário: www.grupounidoderodafogo.blogspot.com

Recife, 08 de março de 2013




Anônimo disse...

Olá, boa tarde,

Sou monitora de creche no município de Quatis/RJ e por aqui a situação está bastante crítica. Trabalhamos até 10h por dia, o salário é o mínimo,vergonha, para as funções que desempenhamos. O que eu gostaria de saber é uma forma de manter contato com vocês do blog para esclarecimentos de dúvidas, preciso de AJUDA! Por favor me dê um endereço de e-mail, um número de telefone, alguma forma de eu me juntar à vocês nesta luta, que é de todas nós que estamos sendo EXPLORADAS nas creches brasileiras. Obrigada!!

Matheus disse...

Olá, sou Assistente de Educação na cidade de Cordeiro e estamos passando pela mesma situaçao de todos que aqui revindicam. Prestamos um concurso público em 2010 e nele constava 5 vagas para o cargo de Assistente de Educação exigindo Nivel Médio e carga horária de 32h semanais, não especificando mais nada, como suas atribuições e detalhamento da carga horária. Passei no concurso e só quando tomei posse que fui informado que era para trabalhar em creche, limpando bumbum de criança e tdo mais e ainda teriamos que cumprir 2h semanais de atividades pedagógicas. A divisão das horas eram 30h semanais + 2h de pedagogico, enfim...aceitei o cargo achando que por ser homem poderia me livrar dessa função, até também por não ter a formação exigida. Pobre de mim que achei isso, fui colocado para trocar fralda e dar banho em crianças, coisas que nunca tinha feito na vida. A única proibição que tinha era que poderia fazer isso apenas nos meninos. Estou na creche desde de 2011 e ano passado descobri o blog e da luta de outras pessoas que estão em situações parecidas. Esse ano reunimos (hoje são 24 assistentes no município (Cordeiro, RJ)) e conversamos com o secretário de educação que foi mto solicito a nos ajudar, montando um processo com documentos que reuni (com a ajuda do blog) para ser protocolado na prefeitura e começar o processo de mudança de cargo, porém esse secretario foi exonerado e mudou toda a equipe da educação, já nos reunimos com a atual secretária que prometeu mudar a nossa situação, estamos esperando, até porque pela secretária nada pode ser feito enquanto estivermos no estágio probatório, o meu por exemplo so termina em 06/14, mas outros ja terminam agora...vamos ver como vai ser até la. Estamos confiantes, pois sabemos que a lei está do nosso lado. Gostaria de mais orientações sobre como devo agir nesses proximos meses.
Em tempo, o parecer sobre a possibilidade de mudança de cargo foi arquivado pelo MEC. Má notícia??? Em compensação o parecer sobre as férias foi homologado pelo ministério.
Obrigado por tudo e vamos continuar na luta. Sucesso pra gente. Matheus.