Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

A Educação Infantil levada a sério!

Observem a visão que Zóia Prestes tem da educação Infantil, ela é filha de Luiz Prestes é formada em pedagogia e psicologia infantil pela Universidade Estatal Lenin de Pedagogia em Moscou, é mestre em educação pela mesma universidade. Entre outras atividades, traduz obras literárias, científicas, e do autor Vygostsky, do russo para o português e já tem mais de seis livros publicados.

http://www.sinprominas.org.br/imagensDin/arquivos/362.doc

Em um trecho Zóia Prestes diz:"A formação dos professores da Educação Infantil HOJE é um direito dos próprios professores e também das crianças". E juntamente com a formação ela não esqueceu de incluir a VALORIZAÇÃO.

6 comentários:

Anônimo disse...

Viram só?ela diz que o nível fundamental compromete a qualidade das ações desenvolvidas com e para as crianças, ainda bem que devido ao nível dos concursos hoje a esmagadora maioria que passaram tem o nível médio completo, e ela fala do descompromisso das políticas públicas com a educação infantil.
Dani

Cris disse...

Uma prova bem clara de que nós, chamados de auxiliares, precisamos ter a formação de magistério para exercemos nossas funções é que estamos cursando o Proinfantil, afinal se não precisássemos da formação por que o governo federal estaria investindo tanto dinheiro em nós? Agora essa de querer qualificar sem valorizar só pode ser uma pegadinha do Faustão, heim.

Obs.: Falo pegadinha para ser educada.

Professor(a) disse...

Maria do Pilar lacerda é a Secretária de Educação Básica, ela é sensível com nossa causa, é uma das autoridades da educação que quer ver a nossa situação regulamentada, por isso pedimos que escrevam pra ela, nós já fizemos isto, agora é a vez de vocês!
http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=293&Itemid=358
Entrem no link serviço e depois "fale conosco" e falem a verdade!

pedagogia,na sala disse...

Estou cursando o 8º período do curso de pedagogia. E por trabalhar como auxiliar em um berçário há 5 anos conheço de perto o sofrimento das recreadoras “termo utilizado para as auxiliares de berçário aqui,” para conseguir uma remuneração adequada. Pois as mesmas recebem menos de 1 salário mínimo. Escolhi como base de pesquisa para a minha monografia a valorização profissional de educadores de criança de 0 a 3 anos. Encontre no seu blog muitos materiais que podem me ajudar só que preciso tirar algumas duvidas sobre o tema . pesso encarecidamente uma resposta pois o tempo para mim está curto, gostaria de ouvir sugestões da sua parte para a construção da minha monografia

Professora disse...

Prezada Pedagogia,na sala,

Nós não entendemos sua pergunta, mas de qualquer forma, o blog tem riquíssimo material de pesquisa para sua monografia. Os documentos do MEC também poderá lhe ajudar muito. Qualquer coisa nos escreva!
Abraço.

Anônimo disse...

GOSTEI MUITO DO QUE Zóia Prestes FALOU,sou recreadora concursada há 13,efetiva há mais de 11 anos em Floresta interior de Pernambuco,fiz pedagogia
e pós graduação como a maioria das recreadoras(apenas 31),trabalho diretamente com as crianças de 0 a 1 ano sozinha e colocam no educa senso como se
fôssemos assistentes,deve vim dinheiro do FUNDEB para nós, mesmo hoje as creches sendo parte da secretaria de educação não somos valorizadas como
merecemos, recebo igualmente e com todo respeito aos contratados que são apenas alfabetizados, belo incentivo para se matar numa sala de aula para
melhorar a profissão!!!O que fazer?Alguém me ajude!Quem procurar?