Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL CADA VEZ MAIS FORTES E UNIDOS!

Comentários retirados das postagens:RESENDE-RJ SINALIZA SOBRE A VALORIZAÇÃO DOS MONITORES DE CRECHE e ATRIBUIÇÕES DO PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL.

"Aqui no Guarujá somos chamadas de ADIs. Temos o trabalho de "cuidar" e educar, não vejo problema emfazer isso,só acredito que deveríamos ter uma carga horária menor. Aqui,trabalhamos 8 horas por dia, chegamos em casa exaustas e sempre preocupadas com o que faremos para melhorar nosso trabalho.

Alguém conhece alguma lei que diga a carga correta para professores de educação infantil? Precisamos lutar pelos nossos direitos..."

Abraços, Giselle Galotti


Olá Gisele, seja bem vinda ao Blog dos Professores de Educação Infantil,

Nós, assim como vocês aí de Guarujá-SP trabalhamos por prazer, gostamos de cuidar e educar nossas crianças, o que não achamos justo é a falta de valorização, as péssimas condições de trabalho e a carga horária excessiva que tem feito muitos Auxiliares de Creche adoecerem.


Se os professores de outros seguimentos com carga horária de quatro horas e meia reclamam que ficam exautos e com problemas de saúde, imagine nós que permanecemos dentro da sala de aula sete, oito horas por dia! Mas por conta do preconceito os gestores , que nos tratam como escravos, acham que temos que aguentar o "batente".


Não sabemos de nenhuma lei específica que regulamente a carga horária do Professor de Educação Infantil, alguns poucos municípios fizeram concurso pra este cargo mas a carga horária exigida foi maior do que a dos professores dos outros segmentos, algo inaceitável, pois já foi observado por estudiosos da educação que quanto menos idade tem a a criança, maior é desgaste do profissional, mas podemos mudar isso sabe como? União e luta! dizendo: Chega! Não! acabou! de braços cruzados as coisas ficarão como estão...



"olá sou da cidade de praia grande llitoral de são paulo e aquí também não é muto diferente.aquí o profissional que trabalha na creche é chamado de atendente de educação!ninguem merece!!!!!!!!!!!!!!!!! estamos lutando para mudar isto.o piso nacional,pagamento de hora-atividades,plano de carreira do magistério,já que dizem que não somos professores.vale notar quetodos aquí todos tem magistério e quase que toda sua totalidade tem curso de pedagogia já que é exigência do município em concurso. "


Olá anônimo(a) de Praia Grande - SP,

Falta tudo para o Profisisonal de creche, mas nomeclaturas temos com fartura:Atendente de Educação, Auxiliar de Creche,Agente Auxiliar de Creche, Auxiliar de Recreação, Recreacionista, Pajem, Monitor,Assitente de Educação Infantil, educador Infantil, crecheiro, Auxiliar de Desenvolvimento Infantil e etc.

O caso de vocês é parecido com os educadores de Belo Horizonte, pelo que entendemos o concurso público que prestaram fêz a exigência do nível de escolaridade correto, não há o que discutir, mas os administradores se recusam a admitir que o Professor de Educação Infantil merece todo respeito e igualdade com os demais professores, acham que trocar fraldas e dar banho desmerece e diminue a profissão docente.

Continue a lutar, não desanime, entre em contato com as Educadoras de Belo Horizonte MG através do blog:

http://educacaoinfantilpbh.blogspot.com/

Mande-nos seu e-mail pois temos um documento para te enviar, garantimos o anonimato.

Abraços a todos(as)

16 comentários:

Anônimo disse...

Depois de ler algumas postagens aqui, fico impressionada com o desrespeitos ás leis, como pode as prefeituras ainda teimarem que auxiliar faz uma coisa e os professores fazem outra na educação infantil? é coisa de louco! mas não entendo por que o MEC não faz nada, fica de braços cruzados enquantos as prefeituras fazem a lambança na educação infantil.

PDT Angra disse...

http://g1.globo.com/vestibular-e-educacao/noticia/2010/08/programa-preve-qualificar-professores-de-educacao-infantil-em-cinco-cidades.html

Talvez ajude um pouco, pelo menos nas discussões. Um abraço. PDT Angra.

Anônimo disse...

É muito triste essa situação! Aqui em bertioga, nosso pedido de reequadramento está parado na procuradoria. Eles não estão nem ai conosco, nem ai com a educação infantil!

Professora disse...

Ao PDT Angra,

Agradecemos seu interesse em ajudar os profissionais da Educação Infantil e com isso contribuir com uma educação de qualidade às nossas crianças.
Continue a nos enviar materiais para que cada vez mais ganhemos força para conseguirmos nossos objetivos que já é sabido por todos.
Um abraço.

Marcelle Chris disse...

Em BH os professores da educação infantil recebem a nomenclatura de educador infantil. Nosso salário é cerca de 40% que dos "professores" ( que atuam no ensino fundamental). O prefeito autorizou um abono que pra mim fere os direitos dos trabalhadores: reunião remunerada fora da carga horária, da qual só participam servidores que não se ausentaram da escola ( não são aceitos atestados médicos)!!! Ou melhor, poder participar pode, mas só recebe quem trabalhou todos os dias letivos do mês anterior. E essa remuneração também é diferenciada. Educador Infantil recebe somente 2/3 do abono do professor (PI). Entretanto nossas atribuições são as mesmas, o que inclui diário de turma e tudo. Mas me questiono: diário é obrigação de professor. Segundo a PBH nós não somos professoras.

Professora disse...

Anônimo das 09:34,

Se vocês não cobrarem eles são caras de pau, ignoram totalmente o documento, o que vocês precisam fazer é contar pra TODOS como a gestão que está no poder age com relação a valorização de profissionais que lidam diretamente na educação das crianças.
Abraços.

Anônimo disse...

Gostaria de saber qual a finalidade do MEC?
Os municípios como o Rio de Janeiro fazem o que querem com a LDB.

Anônimo disse...

Tiraram o link do Proinfantil da página da SME RJ numa tentativa infantil e desesperada de nos calar.
Por que o medo? Eles não estão certos, apoiados na constituição Federal?

Professora disse...

Anônimo de 26/08/10/ 12:25h,

O Ministério da Educação é o órgão do Poder Executivo brasileiro responsável pelas políticas e diretrizes da educação no país. O problema é que o MEC dita as regras, os municípios não cumprem e fica por isso mesmo, é o que acaba por enfraquecer a qualidade da educação no pais.Infelizmente!

Anônimo disse...

Olá, também fiz o concurso Aux de Creche Município do RJ e sei que o mesmo tem validade até abril de 2012,tem umas 180 pessoas na minha frente sou da 6 cre,será que ainda posso ter esperanças em ser convocada.Desde já agradeço!

Anônimo disse...

* PL-05446/2009 - Dispõe sobre a contagem do tempo de exercício dos profissionais que exercem atividades em unidades de educação infantil como de efetivo exercício do magistério.

- 02/12/2010 Devolvida sem Manifestação.
alguem pode me explicar direito essa decisao na camara dos deputados a qual acabei de receber.

Professora disse...

Olá anônimo,

Recebemos este informe por que acompanhamos o andamento desta Proposição do Deputado Carlos Zarattini, enviamos para vários e-mails, talvez você tenha sido comtemplada(o).
Bom, já escrevemos para o Deputado pedindo esclarecimentos sobre o texto, como somos leigas no assunto, não sabemos afirmar com certeza se a expressão: "Devolvida sem Manifestação" é positiva ou negativa, vamos aguardar, assim que recebermos a resposta postaremos aqui.
Um abraço

Mudança já!!! disse...

Olá!!!

Nós na Praia Grande tambem estamos na luta pela mudança da nossa nomenclatura. Na verdade nao só isso, mas principalmente o reconhecimento da importancia do nosso trabalho. Gostaria de pedir apenas um esclarecimento. Qual é a data máxima para que as prefeituras se adequem à essa condicao de inclusao no plano de carreira do magistério e mudança de nomenclatura. Pelo que tenho lido acredito que seja agora, em dezembro de 2010. Se puderem me dar alguma dica de documento que isto esteja definido claramente... Obrigada desde já!!!

Professora disse...

lá anônimo de Praia Grande,

Segundo a Resolução abaixo, os municípios teriam até dez/2009 para fazer a inclusão dos profissionais que trabalham em sala de aula no PCCR do Magistério, no blog tem mais alguma postagem que fala sobre isto,com um tempo podemos ver onde está.

http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/resolucao_cne_ceb002_2009.pdf

Um abraço

Anônimo disse...

Tbém sou atendente de educação em Praia Grande e estamos lutando legalmente por nossos direitos.Não conseguimos entender como uma Lei municipal possa ser maior que uma Lei Federal?Somos tratadas como meras babás,pois até no ano passado,realizavamos projetos,faziamos nossos semanários,realizavamos sondagens e...não sabemos o porquê tiraram essas nossas "obrigações", hoje nos dão um cronograma que Eles planerjam e temos o dever de segui -lo.Por que será essa mudança?Certamente,para que sejamos realmente as Babás que tanto querem.Adoro o que faço,que é cuidar e zerlar pelo bem estar de nossos alunos,e vamos continuar na luta até o fim por:salário digno,adequação de horário,mas acima de tudo "RECONHECIMENTO".Um abraço!

Anônimo disse...

Olá meninas,sou pedagoga e tbm trabalho em uma creche no Guarujá e estamos indignadas com o tratamento dado as educadoras de Educação Infantil,segundo os nossos supervisores pertencemos ao quadro do Magistério, porém não temos os mesmos direitos dos professores, agora eu pergunto ,o que somos afinal?