Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

ATENÇÃO PREFEITOS: AS CRECHES NÃO SÃO DEPÓSITOS DE CRIANÇAS E NÃO EXISTE MAIS A FUNÇÃO "CUIDADOR"

Comentário retirado da postagem:FUNDEB: PROFISSIONAIS DE APOIO OU DE MAGISTÉRIO?

Em Praia Grande temos os mesmos problemas,pior é a má gestão e o dinheiro público na mão de rapinas...vamos lá meu povo somos mais fortes do que parecemos,eles sabem disso,afinal dizem que somos uma democracia..temos que exigir o cumprimento da lei (LDB art 61) Viva os professores de educação infantil do Brasil..somos nós é que fazemos a diferença...vamos mostrar que atingimos a critica social e não iremos permitir que coloquem a culpa da opressão no oprimido...vamos lá como Paulo Freire nos ensinou...sem medo em direção a vitória..vamos entrar na justiça por um direito lidimo...Vamos limpar o Brasil desta corruptela que só pensa nos ricos e enriquecem com o dinheiro público.

Nesse comentário acima não sobrou nada a acrescentar....

Anônimo disse...
Boa noite,até quando vamos ter que mendigar um direito e implorar aos parlamentares para que façam cumprir a lei federal 12014/09.Eu até fiz uma bricadeira no meu trabalho disse que tem que ser feito outro diário de classe com as nomeclatura berçarista e recreadoras, pois temos que fazer tudo que um professor faz, só não podemos fazer parte do salário igual.

Prezado anônima(o)

A Educação Infantil de qualidade em muitos municípios é uma farsa, na verdade é um depósito de crianças, imaginem se as crianças são "entulhadas" dentro das creches e está tudo bem, o que dizer da valorização dos profissionais que cuidam e educam essas crianças? A Lei 12.014 não deixa dúvidas que pertencemos à categoria do Magistério. Estamos, ainda, mendigando por nossa valorização, não por conta dos parlamentares e sim por falta de ação dos próprios profissionais de creche que se acovardam. Quantos tem a coragem de pelo menos protestar contra o descaso cometido contra nossa categoria? São poucos!

nous disse...

Parabenizo as companheiras pela luta. Sou professora da Creche Pré Escola Oeste da Universidade de São Paulo onde todos somos chamados "técnicos de apoio educativo". Nossa luta lá tem mais de 15 anos, mas estamos começando a colher frutos. Este mês teremos reunião na Reitoria para apresentar nossas propostas para um projeto de lei que corrija nossa nomenclatura e carreira. Depois será necessária aprovação no âmbito da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo, porque estamos em instituição estadual. Para quem quer se munir de informações podemos ajudar escrevam para anahelena@usp.br. Para começar, indico o documento do MEC de 2009 http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/resolucao_cne_ceb002_2009.pdf.


Prezada Nous,

Aqueles administradores que querem efetivamente se adequar as exigências do MEC não vêem problema em capacitar, valorizar e reenquadrar os profissionais de creche que estão sem a formaçãos adequada dentro de sala de aula,em contrapartida quando nos deparamos com um governo desorganizado, gerido por pessoas incompetentes e com o brio muito sensível, a bagunça continua.
Estamos torcendo por vocês, embora tardiamente, as coisas caminham para um final justo e feliz, afinal vocês merecem ser recompensados pelo tanto que contribuíram para a educação das crianças.
Obrigada pelos documentos.
Abraços.

Temos comentários a liberar!

4 comentários:

˙·٠•●♥ Silvia Rossine˙·٠•●♥ disse...

Olá tentei enviar uma postagem mas acho que ela ficou um pouco grande,rs...
Então estou deixando meu link ok!
Tema Atendentes de Educação II,Professores,Mediadores da Educação pela qualidade do Ensino


Obrigada pela atenção

www.silylandia.blogspot.com

Anônimo disse...

Olá. Nosso municipio possui quase 100 educadores infantis e estamos na luta para sermos reconhecidos como tal. Temos direito ao piso salarial nacional porque esntramos na justiça e ganhamos, Agora queremos ser enquadradas no plano de carreira dos profissionais do magistério que já existe. Toda semana estamos na Camara Municipal cobrando nossos direitos, por esses dias será votado o Projeto de lei que regulamenta nossa situação. Ufa são seis anos de luta mas estamos alcanpçando nossos objetivos.

Anônimo disse...

Boa noite,sou leitora deste blog,acompanho tudo, e gostaria de informar que aqui na minha cidade ja tentamos todos os meios com os políticos da cidade e não conseguimos nada, então as colegas que ainda não tinham entrado na justiça resolveram todas entrarem, sendo que ja temos um processo tramitando no forum da cidade, que bom agora é todo o Brasil lutando pelo mesmo objetivo. Um abraço para todos os leitores.

Anônimo disse...

sou monitora e estou lutando pelos meus direitos e fico cada vez mais confiante de que vou conseguir ser reconhecida como educadora serei mais vencedora nessa batalha se DEUS quiser e tenho certeza que ELE QUE.