Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

segunda-feira, 14 de março de 2011

QUALIDADE E DEMOCRACIA PARA ESCOLHA DE DIRETORES

Pelo menos é isso que Claudia Costin, Secretária de Educação do Município do Rio de Janeiro, tem anunciado. Vejam a matéria do O GLOBO em 03/02/2011.

Professores terão que fazer prova para concorrer aos cargos, para os quais haverá uma eleição em novembro

Depois do estado, agora é a vez de a prefeitura anunciar mudanças no processo de escolha dos diretores das Escolas em 2011. A Secretaria municipal de Educação está preparando uma resolução que irá instituir provas para os professores que quiserem concorrer ao cargo.

As próximas eleições serão realizadas em novembro já sob as novas regras. Apenas aqueles que passarem nos testes de gestão Escolar poderão participar dos pleitos. Outra obrigação para se submeter às urnas nos colégios será a elaboração de um plano de melhorias para a unidade.

- Com a manutenção das eleições diretas, continuaremos a ter diretores com a característica de liderança. Mas agora ainda teremos a condição de qualidade, de profissionalização - destacou a Secretária de Educação, Claudia Costin.

Todos os profissionais que quiserem concorrer ao cargo de diretor pela primeira vez terão que passar por um curso de preparação em gestão Escolar, com duração prevista de 40 horas. As aulas estarão disponíveis na internet. Nas próximas semanas, a prefeitura fará a licitação para escolher a empresa que ficará responsável pela preparação.

Quem já é diretor, não terá obrigação de fazer o curso, mas precisa fazer a prova para receber o certificado de aptidão para a função e poder concorrer à reeleição.

Testes vão avaliar a capacidade de gestão

De acordo com Claudia Costin, a prova será baseada em questões voltadas para a gestão de uma Escola concreta, com estudo de casos e situações reais. Depois de eleitos, os diretores passarão por uma nova etapa de cursos. Os candidatos poderão concorrer não só nas unidades em que atuam como em qualquer uma das 1.062 da rede municipal.

A partir deste ano, poderá se candidatar quem tiver curso superior em qualquer área, não só naquelas ligadas a Educação ou licenciaturas. Basta ter cinco anos de atuação em sala de aula. Há casos de professores com curso normal e graduação, por exemplo, em direito ou engenharia, que estão liberados para participar. O mandato permanecerá em três anos.

Será criado ainda um banco de dados com todos os profissionais certificados - que já passaram na prova mas não foram eleitos - para eventuais aberturas de vagas. Os cargos terão indicação das Coordenadorias Regionais de Educação, mas só poderá assumir quem estiver certificado.

O próprio processo eleitoral também passará por algumas mudanças. No último pleito, havia duas urnas: uma para os profissionais da Escola e outra para pais e alunos. O quórum da primeira era de 50% mais um. Na segunda, 40%. Se não fosse atingido o mínimo de votos, eles eram todos descartados. A partir desse ano, haverá uma urna única para todos, sem distinção de votos.

Outra modificação é que apenas alunos a partir do 6º ano do ensino fundamental (em média com 11, 12 anos) terão direito a voto. No sistema atual, era possível participar da escolha do diretor a partir de 9 anos de idade. Com a medida, a secretaria tenta evitar a manipulação dos alunos menores em favor de algum candidato. A eleição é feita de forma direta nas Escolas desde 1988.


Enquanto Claudia Costin aperfeiçoa, no Rio de Janeiro, as eleições direitas para diretores, tudo indica que nossa Secretária de Educação, Luciane Pereira Rabha, não possui a menor intenção de tornar estas eleições uma realidade em Angra dos Reis. Aliás, há muito tempo não vemos por aqui uma eleição para diretores.

Porém ano passado foi aprovado nosso PME (Plano Municipal de Educação) através da Lei nº 2.582, de 10 de maio de 2010 e educadores do município conseguiram incluir no PME a seguinte redação:


6.Financiamento e Gestão da Educação
6.3 Objetivos/Metas
Item 6.Promover a participação efetiva dos professores, funcionários, pais, responsáveis, alunos e comunidade do entorno como exercício de cidadania, compreendido seu caráter emancipatório, assegurando a realização de eleições livres e diretas a cada 03 anos para a equipe diretiva, e a cada 02 anos para os conselhos de escola das unidades escolares, a partir do ano seguinte à publicação deste plano.


Desta forma, uma batalha já foi vencida, agora resta que a comunidade escolar cobre que o município concretize o que já está previsto em nosso PME e o que o MEC já cobra a tempos dos municípios.

Os profissionais da rede, principalmente, devem se empenhar nesta luta, já que são afetados diretamente pela atual sistema de nomeação de diretor, onde é posto na diretoria das escolas aquele que o governo bem entender. Precisamos dar um basta nesta história de diretor com rabo preso. Diretor tem é que defender os interesses do corpo docente e discente da escola.

Vamos torcer que em Angra dos Reis a Secretária de Educação esteja refletindo até hoje sobre a infeliz entrevista feita na Câmara de Vereadores. Vejam o que ela pensa sobre o assunto "eleições para diretores":


A DEMOCRACIA DE LUCIANE PEREIRA RABHA
video

Isso é democracia? ? ? ?

E Angra vai cada vez ficando pra trás...

10 comentários:

Anônimo disse...

Não entendi essa história da secretária falar que não deu certo as eleições para diretores, nunca houve isso na gestão dela. E todos que presenciaram a época em que existia as eleiões para diretores dão total apoio para a volta das eleições.É melhor tentar outra por que essa não cola de jeito nenhum.

FUI NO TORORÓ disse...

O negógio dessa secretária, ou melhor dessa gestão é ter todo mundo aos pés deles, tem diretor que não trabalha, que persegue funcionários, que é desequibrado e nem assim a bicha enxerga.Mas isso é bom pra nós fica mais fácil nos livrarmos dessa cambada toda.E essa hora que não chega!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Precisamos exigir as eleições! Essa história tem que mudar.

Anônimo disse...

Maria Andréia, a megera da Creche Deise Maria na Japuíba, seria a primeira ser deposta do cargo, ninguém gosta dela na Creche,os funcionários na frente dela é sorriso amarelo e por trás é esculacho.Se houvesse eleição aqui ela estaria fora, para alívio de TODOS.

Anônimo disse...

Minha esperança é que Maria Andréia continue na creche depois que perder o cargo. É o tal ditado: "Não há nada como um dia atrás do outro"...

Anônimo disse...

É pessoal, cadê o tal do 104???????kkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Se fosse adotado um critério legal e transparente para escolha de diretores comprometido com a qualificação profissional, teríamos excelentes gestores, profissionais e competentes.
Mas o que temos em muitas unidades de educação em Angra dos Reis são CCs que para se manterem no cargo e não deixarem transparecer sua falta de preparo, utilizam TODOS OS MÉTODOS POSSÍVEIS para coordenar um grupo de servidores.

Professora disse...

O problema todo é que o SinsPMAR, infelizmente,ou felizmente? Está cada dia mais perdendo a credibilidade entre os servidores públicos, as coisas precisam ser feitas às claras, e como assim não foi feito, está arriscado não sermos beneficiados nem com 103, muito menos com 104.
Um abraço.

Valéria disse...

Não entendi a fala desta secretária "diretores eleitos, deram muitos problemas..." pra quem? por que? Essa fala foi muito infeliz, está na contramão da democracia! Diretores eleitos são diretores q brigam pela comunidade escolar (alunos, pais e funcionários)e nãoa meras marionetes que perseguem os funcionários nas escolas. Eleição para diretores já!!!! Outra coisa, ela dizer que como secretaria ela poderia vetar o congresso de avaliação???? Prefeito Tuca, observe isso ...

Anônimo disse...

So de pensar que a bruxa da Maria Andreia estaria fora da creche deise maria,eu estaria feliz e poderia realizar meu trabalho mais feliz...