Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

O IMPORTANTE É NÃO DESANIMAR, UNIÃO E FORÇA, SEGUINDO EM FRENTE...

"Fico indignada com tanto absurdo na minha cidade,a atual secretaria da educação disse em um determinado curso que as ADI´s não podem ser reenquadradas no quadro de magistério e portanto não poderão ser professoras a não ser via concurso público, disse com tanta negatividade que causou mais desconforto do que já temos, pois recentemente a prefeitura realizou um concurso para professor de creche,a inscrição estava a preço de banana e tivemos muitos concorrentes , nas questões caíram somente questões com conteúdos voltados a ensino fundamental,concluindo, tivemos um público maior para concorrer e muitas de nós perderam a chance de ingressar, pois a colocação ficou a perder de vista. injustiça maior aconteceu depois , quando as professoras assumiram as salas, fomos excluídas do HTPC, HTPL,HA, só nos restou a depressiva condição de vivenciar na pele a desconsideração por tantos anos de trabalho e dedicação, muitas de nós com quase vinte anos de luta e lida , com muito amor e exemplo."


Muitas coisas estão dizendo por aí, a boca fala o que quer, garanto a vocês que a maioria das Secretárias de Educação nem sabem o que estão dizendo, estão mais perdidas que cego em tiroteio, assumem a função sem saber absolutamente nada sobre a Educação Infantil, tem em mente que estamos na era assistencialista, que existe um profissional para cuidar e outro para educar. Podem crer que isso é verdade, já ouvi por diversas vezes a frase: "quem irá trocar as fraldas"? Isso leva a crer que a ignorância reina.

Mas estamos sendo observados pelos órgãos competentes, por isso o nosso clamor para que todos façam bastante barulho, demonstrando nossa insatisfação, sempre embasados com provas, por isso fotografem tudo, filmem, gravem, principalmente quando estão sozinhos com as crianças em sala de aula, fazendo ou ajudando fazer o Projeto Pedagógico.  Não podemos continuar a sermos "quebra-galhos", fazemos  trabalho docente e temos que ser reconhecido por essa função, ou então que volte o assistencialismo! 

Não podemos também  pagar o preço pelo erro do concurso. Nosso caso é um caso à parte, não estamos querendo virar professores, nós somos! Foi-nos imposta essa função!  Pra eles está muito bom, professores a preço de banana(como disse você).

Voltamos a dizer, não há punição para o município que não cumpre a LDB, enquanto isso não acontecer, assistiremos esses absurdos de profissionais sem qualificação dentro de sala de aula. O Governo Federal também precisa fazer sua parte e entrar com recursos específicos para os profissionais dessa área, porque muitos municípios não tem condições de arcarem com as despesas da Educação Infantil(não é o caso de Angra dos Reis, que tem uma arrecadação de quase um bilhão).


Abaixo vídeos que mostram o movimento de nossos colegas auxiliares em prol da inclusão no Magistério:


video




video
                                          












Nenhum comentário: