Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

OS AUXILIARES DE CRECHE DO BRASIL SÃO VÍTIMAS DE HOMOFOBIA

Comentário retirado da postagem:O MEC RESPONDE QUE O ENQUADRAMENTO DO AUXILIAR DE ...

Prof. Antero disse...O MEC RESPONDE QUE O ENQUADRAMENTO DO AUXILIAR DE CRECHE É LEGAL! Nossos amigos da Educação Infantil Uberlândia nos alertaram sobre o parecer do Conselho Nacional de Educação n° 7/2011, ele foi elaborado para responder os questionamentos da Secretaria Especial de Relações Institucionais de Jaú-SP e possui o seguinte assunto: Profissionais da Educação Infantil: possibilidades de sua inclusão na carreira do magistério da Educação Básica e consequente remuneração com recursos do FUNDEB.

É importante todos lerem o parecer na íntegra, mas destacaremos alguns trechos: Art. 5º A Educação Infantil, primeira etapa da Educação Básica, é oferecida em creches e pré-escolas, as quais se caracterizam como espaços institucionais não domésticos que constituem estabelecimentos educacionais públicos ou privados que educam e cuidam de crianças de 0 a 5 anos de idade no período diurno, em jornada integral ou parcial, regulados e supervisionados por órgão competente do sistema de ensino e submetidos a controle social.

No mesmo sentido, a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), instituída pelo Ministério do Trabalho e Emprego, por meio da Portaria Ministerial nº 397, de 9 de outubro de 2002, que tem por finalidade a identificação das ocupações no mercado de trabalho, para fins classificatórios junto aos registros administrativos e domiciliares, ao descrever as funções inerentes ao cargo de professor de creche, lista, dentre as funções tradicionalmente conhecidas como de magistério (promover a educação do aluno, promover a relação ensino-aprendizagem, planejar a prática educacional, avaliar as práticas pedagógicas etc), também a função de cuidar dos alunos, descrevendo-a detalhadamente de forma a contemplar: o acolhimento dos alunos, o acompanhamento nas atividades recreativas, a intervenção em situações de risco, o acompanhamento nas refeições, o ato de alimentar os alunos, o auxílio na colocação de roupas e a troca de fraldas e roupas em geral. (disponível em:http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/pesquisas/BuscaPorTituloResultado.jsf).

Assim, as funções exercidas por servidores ocupantes dos cargos de recreador, como são os servidores objeto da consulta, ou sob qualquer outra denominação, como já mencionamos alhures, caracterizam-se como funções semelhantes às do magistério, haja vista que, como já dito, o ato de cuidar e educar são indissociáveis na Educação Infantil.

INFELIZMENTE ALHEIO A TUDO A ISTO EXISTE UM GUERRA DECLARADA ENTRE O EXECUTIVO MUNICIPAL DE JAÚ/SP, E O ATUAL SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO, QUE POR INCRÍVEL QUE PAREÇA ESTA COLHENDO ASSINATURAS ENTRE PROFESSORES, IMAGINO QUE SOB ACUAÇÃO, POIS IR CONTRA ESTA QUESTÃO É IR CONTRA O PRINCÍPIO, DO MAGISTÉRIO, PARA QUE O EXECUTIVO NÃO APROVE O QUE O MEC APROVOU.

A ATITUDE NAZISTA E HOMOFÓBICA CHEGA A PONTO DE O SECRETARIO TER DITO QUE NÃO PERMITIRÁ QUE AS RECREADORAS "LIMPA BUNDAS", SEJAM CONSIDERADAS PROFESSORAS. ISTO VEM A DEMONSTRAR, QUE DE LEGISLÇÃO EDUCACIONAL ELE NÃO CONHECE NADA, SEMPRE FOI CONTRA, APESAR DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, LDB, PARECER 007/2011, ANEXO ELABORADO PELO CONSELHEIRO DA "Câmara de Educação Básica aprova por unanimidade o voto do Relator O GRANDE EDUCADOR SR. CESAR CALLEGARI".

VEJA EU COMO PROFESSOR, AO RECEBER ESTA INFORMAÇÃO DE NOSSOS COMPANHEIROS DE UBERLÂNDIA, FIQUEI FELIZ, PELA EDUCAÇÃO INFANTIL, MAS O SEC. DE EDUCAÇÃO DE JAÚ/SP ESAT NO MÍNIMO FORA DE SÍ, O PREFEITO LOCAL SR. OSVALDO FRANCESCHI, PODE ENTRAR PARA A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E SEU SECRÉTÁRIO, CHEIO DE VAIDADES, ESTA DESCONSIDERANDO LEIS SUPREMAS DO CNE E CEB.

ENTENDO QUE O PODER PÚBLICO NO MUNICÍPIO DE JAÚ/SP, DEVE SE MANIFESTAR E VERIFICAR O QUE ESTA OCORRENDO, QUE ESTA POR TRAZ DESDE SECRETÁRIO E QUAIS INTERESSES ELE REPRESENTA. DIVULGUEM ESTE E-MAIL, A EDUCAÇÃO INFANTIL NECESSITA DE PESSOAS QUE QUEIRAM SUA QUALIFICAÇÃO E NÃO O FIM DELA, VÁ LAVAR A BOCA SR. SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO DE JAÚ. ATTE, PROF. JOÃO RIBEIRO ANTERO


Caro professor Antero,

O Sr. usou o termo correto: esse secretário está fora de si, não tem como contestar um parecer dos moldes do 7/2011. Após a homologação do parecer entrem em contato com o MEC, eles são todos ouvidos aos Profissionais de creche, foi-se o tempo em que éramos ignorados. O melhor que esse senhor tem a fazer é deixar o orgulho de lado e incluir vocês no PCCR do magistério, são professores e merecem respeito assim como os demais, podem colher assinaturas e mais o que quiseram pois não conseguirão tirar de vocês um direito legítimo que já veio tarde demais.

Os desinformados acham que trocar fraldas é vergonhoso, é algo que diminui a profissão docente, por isso resistem em nos reconhecer como professores.
Tudo dará certo!

5 comentários:

Anônimo disse...

Ola companheiras de luta,apresentamos á Secretaria de Educação,aqui da nossa cidade,o PARECER CNE/CEB 7/2011,e nos falaram que este não vale,pois não é uma lei,é somente um paracer...rsrsr.querem leis votadas no Congresso e aprovadas,PODE!!!È DEMAIS!!!Não sabemos mais o que fazer.Abraços.

MANA disse...

ISSO NÃO ME SURPREENDE,POIS A SECRETÁRIA DE EDUCAÇÃO DE CRUZ DAS ALMAS TAMBÉM NÃO QUER QUE AS AUXILIARES DAQUI SEJAM ENQUADRADAS.MUITO PELO CONTRÁRIO,ELA FAZ QUSTÃO DE RESSALTAR SEMPRE QUE NÓS SOMOS DO ADMINISTRATIVO.E SEMPRE RESSALTA QUE "PEDAGÓGICO É PEDAGÓGICO E ADMINISTRATIVO É ADMINISTRATIVO".

Professora disse...

Olá anônimo(a),

Um Parecer é um documento de extrema importância, pois é feito por pessoas que conhecem as leis, muitos enquadramentos foram feitos baseados em Pareceres. O que acontece é que quando não se tem o interesse em nos valorizar eles lançam mão de qualquer argumento para deixarem as coisas como estão. Se querem leis que venham do Congresso, vamos lutar para isso!!!!vamos escrever para os Deputados contando nossa história e protestando, tem dado certo,as coisas ainda não estão melhores é por conta da falta de adesão dos auxiliares de creche, são poucos os que se envolvem na causa.Precisamos mobilizar aos colegas, criar blogs, sites, comunidades no orkut e o que mais estiver em nosso alcance para que continuemos a chamar atenção.
Abraços.

Professora disse...

Olá Mana,


Se nós fossemos a nobre secretária teria vergonha de afirmar um fato que deveria ser vergonhoso para o município, pois os profissionais de creche, segundo o MEC, deve todos pertencerem não só a Secretaria de Educação como ao Magistério.

Abraços.

Anônimo disse...

OLá!
Sou de Jales, assumi o cargo em 2010 como auxiliar de desenvolvimento infantil e aqui também não somos professores, estou tentando passar a todos as palavras do conselho nacional e os assuntos encontrados nos blogs de referência ao assunto...
quando indagamos onde estão os professores da educação infantil?
ao invés do auxílio e reconhecimento recebemos professores e querem que fiquemos com a parte da higiene, um cuida e o outro educa.Acreditam? Separam aquilo que é indissociável.
Preparamos nossas atividades para que então?
Que concurso é este? pediu professores formados, e querem pagar como faxineiros?