Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

domingo, 16 de outubro de 2011

QUANTA CONFUSÃO! ! ! ! !

Lendo essa reportagem me confraternizo com todos !!!!
Não desistam, também brigamos muito aqui em Batatais/SP e finalmente conseguimos. O prefeito recebeu a todos os ADIs em seu gabinete, mas depois de muita luta e manifestos, inclusive fomos a câmara dos vereadores, com camisetas escritas na frente "PROFESSORES, SOMOS OU NÃO". Vencemos e vamos para o quadro do magistério com salário compatível e nomenclatura de EDUCADORES DE CRECHE.
Por Maria José em MANIFESTAÇÃO NA ABERTURA DA FITA


É isso aí pessoal.Vamos mostrar nossa união e força pela educação. O prefeito de Porto Real sancionou e já reestruturou o quadro de funcionários, extinguindo o cargo de auxiliares e monitores de creche que passaram para professores de educação infantil. Está publicado no jornal A Voz da Cidade.

OLÁ MENINAS AUXILIARES DE EDUCAÇÃO, MONITORAS DE CRECHE, SEI LÁ MAIS O QUE NOS CHAMAM POR DESCASO E POR CUMPRIMENTO DA REGULAMENTAÇÃO DO MEC. AQUI EM NOSSA CIDADE TRÊS PONTAS , MG. VENCEMOS. HOJE A NOSSA NOMENCLATURA É EDUCADORA INFANTIL E NOSSAS CRECHES NÃO CHAMAM MAIS CRECHES E SIM CENTROS MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO , TODOS FAZEM PARTE DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO. COMO CHEGAMOS LA´?

1° PASSO: ARRUMAMOS UM ADVOGADO E O RESTO;
2° PASSO: GANHAMOS A SENTENÇA JUDICIAL, HOJE GANHAMOS O PISO SALARIAL DO GOVERNO 1.187.00, TRABALHAMOS 40 HORAS SEMANAIS COMO MANDA A LEI. SOMOS CONSIDERADAS PROFESSORAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL, NOSSA NOMENCLATURA FOI PASSADA PELA CÂMARA MUNICIPAL COM VOTOS DE TODOS OS VEREADORES.

MUITOS PROFESSORES DE NOSSA CIDADE AINDA NÃO ACEITAM QUE SOMOS TAMBÉM PROFESSORES DIZEM QUE NÃO FIZEMOS CONCURSO PARA PROFESSORES E SIM PARA EDUCADORES INFANTIS, MAS O SINÕNIMO DA PALAVRA EDUCADOR INFANTIL É O QUE? SIGNIFICA PROFESSOR. NO EDITAL DE NOSSO CONCURSO QUE FIZEMOS O CARGO ERA; EDUCADOR INFANTIL E NÃO RECREADORA, MONITORA SEI LÁ MAIS O QUE, ISTO É IMPORTANTE , QUANDO FAZER UM CONCURSO OLHAR BEM O NOME DO CARGO PARA DEPOIS ENTRAR NA JUSTIÇA. ABRAÇOS.DESEJO QUE VOCÊS VENÇAM TAMBÉM.
Por CIDADÃ DE TRÊS PONTAS em PREFEITO DE LAFAIETE COUTINHO, ZENILDO BRANDÃO, TA...


Mauricio
Em 2006 prestei concurso público para recreador de creche na prefeitura Municipal de São Bento do Sul SC.
Alem da prova escrita exigiu-se curso de Magistério o qual possuo. Em janeiro de 2007 por lei municipal passamos ao cargo de professor de educação infantil e os auxiliares de creche passaram ao cargo de atendentes educativos. Desde então fazemos planos diários de aula e planos anuais.
Porem quando mudou de prefeito e assumiu a oposição ao anterior prefeito entraram com uma representação no ministerio publico alegando ser inconstitucional a referida lei. Nunca foi nos alertados deste. O atual prefeito entrou com representação no ministério publico com uma ADIN, e agora que ficamos sabendo do processo, sendo que foi aberto concurso publico para professor de educação infantil a dois meses.
Nosso trabalho é de professor mas por picuinhas políticas perdemos nós profissionais da educação e os alunos.
Infelizmente no Brasil saúde e educação ficam relegadas a segundo plano.
Por
mauricio em O MEC ADMITE QUE OS AUXILIARES SÃO OS PROFESSORES...

Na Praia Grande, houve um concurso pra Atendentes de Educação I com exigencia mínima em ensino fundamental,se o candidato possuisse magistério,depois de convocado em listagem tinha um prazo pra realizar a mudança pra Atendente II(com experiência em Magistério). Agora a pergunta,vivem dizendo que não se pode transpor o cargo de Atendente para Professor,mas como pode então através de uma Seleção a nivel fundamental um candidato ingressar com uma qualificação maior.É correto?
Por
Lidianne em ATENÇÃO AUXILIARES DE RECREAÇÃO E BERÇÁRIO!

Como a elaboração do plano de cargos dos profissionais é tarefa da prefeitura então ficamos no meio dessa bagunça. Cada município entende como quer e faz o quer, se não cobrarmos e envolvermos a população nesta briga, nada mudará.

Para os municípios que realizaram concurso já com a exigência de magistério, porém com nomenclatura diferente de professor, não há nenhum impedimento para a mudança de nomenclatura que trará, consequentemente, os benefícios desta mudança. A grande discusão se faz quando os municípios realizam concurso a nível fundamental ou até mesmo o médio, porém sem magistério. Mas se os profissionais ingressam em um cargo de docência sem ter a formação a culpa é única e exclusivamente do município, então se o governo manda qualificar estes profissionais não é justo que eles venham a receber conforme a escolaridade exigida?

Se estes profissionais, segundo o MEC, são Professores de Educação Infantil, mas não possuem a qualificação, então se enquadram perfeitamente na categoria de Professores Leigos, a Lei do FUNDEF/1996 ( atual FUNDEB), já mandava incluir estes profissionais no quadro do magistério após sua qualificação, sem a necessidade de realizar um novo concurso. Como podem conferir na postagem:
O Governo vem exigindo a qualificação e valorização de professores leigos deste 1996.

Independente da nomenclatura que os municípios atribuem aos profissionais de creche, todos que atuam dentro das salas de aula, em contato direto com os alunos são os verdadeiros Professores de Educação Infantil.

Cabe a nós nos organizarmos e cobrarmos nosso reconhecimento. Assine e divulgue o abaixo assinado ao lado, precisamos chamar a atenção do governo federal sobre as péssimas condições que se encontram os profissionais.



2 comentários:

Anônimo disse...

Sabem quando isso vai mudar, quando as críticas forem direcionadas ao Ministro da Educação o SR. Haddad, pois ele é o mais conivente com toda essa situação, pois se estivesse homologado o parecer do CNE, nada disso estaria acontencendo, e devemos lembrar que ele que ser Prefeito de São Paulo....abram seus olhos......acho que chegou a hora de ele ter sua a parcela de culpa também.

zel disse...

quero saber das educadoras de tres ponta mg.se tem com nos passar o projeto de lei que as incluiu no plano de carreira do magistério, pois o nosso advogado quer estudar o caso.