Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

CAMPINAS TAMBÉM ESTÁ NA LUTA POR SEU RECONHECIMENTO.

Leiam esta matéria sobre a luta dos monitores e agentes de educação infantil de Campinas, observem que falamos a mesma língua, falamos em embasamento jurídico, falamos em legislação.

6 comentários:

Tia Ane disse...

Não estamos loucos, queremos apenas que nossos direitos sejam cumpridos. Nada além disso!!!!!

Marcia disse...

Amigos AACs de Angra, divulguem também a nossa comunidade, assim podemos levar nossa luta nacionalmente.
TODOS BRASILEIROS JUNTOS POR UMA EDUCAÇÃO DE VERDADE COM OS PROFESSORES DE VERDADE.
Beijos.

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=48692364

Jane disse...

Pelo visto em Angra e no Rio, faltam sindicatos assim, que tomam a frente e realmente compram a luta.

Cintia disse...

Adorei todas as postagens, são muito esclarecedoras pra nós, que muitas vezes não temos tempo para pesquisar. Parabéns e contem com a gente.

delso disse...

Sou auxiliar de educação aqui em sorocaba, gostaria de saber o que vcs reivindicam e em que situação se trabalha ai hoje, (jornada, recesso, faixa salarial), pois aqui estamos discutindo a mesma coisa, valorização e enquadramento no quadro do magisterio.

Professora disse...

Boa noite Delso,

Estamos reivindicando nosso enquadramento como Professores de educação Infantil e a inclusão no Magistério por exercermos extamente as atribuições dos mesmos, ou seja, cuidar/educar.
Trabalhamos sete horas diárias(carga horária absurda pelo desgastes que sofremos dentro de sala de aula), não temos direito ao recesso de meio e fim de ano e nosso salário é R$640,00 + adicional de Insalubridade de mais ou menos 120,00. Conseguimos insalubridade depois de fazermos um texto expondo os riscos que corremos e demos entrada no Protocolo da Prefeitura e conseguimos esta vitória, se vcs não recebem corram atrás.
Abraço.