Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

"Não somos responsáveis apenas pelo que fazemos, mas também pelo que deixamos de fazer" Molière

Alguns artigos da luta dos Auxiliares pelo país a fora....

Santos SP, firme na luta!
http://www.redetelma.com.br/ultimas_noticias_integra.asp?codigo=1094

Natal-RN dá atenção especial a Educação Infantil
(A valorização dos profissionais de Natal não foi colocada de lado, não deixem de ler)
http://tribunadonorte.com.br/noticia.php?id=97780

Vejam como cada município tratou a Educação Infantil em consonância com a LDB
http://rluizaraujo.blogspot.com/search?q=educa%C3%A7%C3%A3o+infantil+e+o+plano+de+carreira

Uma matéria do Jornal Nacional onde as duas profissionais são professoras.
http://jornalnacional.globo.com/Telejornais/JN/0,,MUL1351667-10406,00-PROFESSORES+VAO+PRECISAR+TER+CURSO+SUPERIOR.html

7 comentários:

Anônimo disse...

Minha preocupação é com o estágio probatório....será que podemos ser mandados embora se a gente mostrar nosssa cara?

Professor(a) disse...

A Constituição Federal diz em ser art 5º, inciso IV e XVI:

IV-"É livre a manisfestação do pensamento, sendo vedado o anonimato."
XVI-"TODOS podem reunir-se pacificamente sem armas, em locais abertos ao público, independetemente de autorização desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo exigido prévio aviso à autoridade competente".
Não precisamos temer o probatório, pois a Constituição Federal nestes e em outros artigos nos protegem, e costumamos dizer que quem decide se vai passar pelo probatório somos nós mesmos,se cumprirmos nossas atribuições à risca,nenhuma chefia consegue nos prejudicar, eles podem nos colocar pra fora, mas a justiça nos coloca pra dentro de novo!se você está falamdo em perseguição,podemos até passar por isso, mas hoje temos meios infalíveis de mostrar isto à sociedade, e ao que sabemos, pelo menos neste momento, nenhum de nós está passando por este problema.

Professor(a) disse...

E caso alguém venha a ser vítima de perseguição e assédio moral, mande-nos um mail resolveremos juntos o problema. Precisamos estar unidos para conquistarmos o nosso respeito e valorização.

Anônimo disse...

Muito interessante este artigo do de Natal-RN, onde o monitor ganahava um salário mínimo e subiu pra R$1200,00, e também mudou a nomeclatura, e olha que é NORDESTE heim,que eles falam e demonstram até um pouco de preconceito, como se fosse gente atrasada, ah se Angra estivesse atrasada como eles!

Anônimo disse...

Pois é, em Natal a prefeitura ágil corretamente, mesmo com dificuldades financeiras, onde a Secretaria Municipal de Educação(SME) recebeu a educação infantil que era de responsabilidade da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social sem aumentar sua receita, a SME garantiu aos profissionais a qualificação juntamente com sua valorização.
E em Angra ficaremos apenas com a qualificação??? cadê nossa valorização???

Anônimo disse...

Em Natal, eles só pecaram na mudança de nomenclatura, afinal o nome da profissão de quem educa é PROFESSOR, e como se trata de educação infantil o nome correto é PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL e não educador infantil.

Marcia disse...

Anônimo, preste bastante atenção e reflita: Não existe nenhum AAC, do Rio, que já tenha mais se exposto do que eu. Dei entrada denúncias em dois M.PS.(Alpem de várioas outras coisas) e as promotoras estão arroxando a Cláudia Costin e o Sr. Paes, sempre assumi tudo o que sempre fiz com a minha cara, é lógico, me calço e só falo o que posso provar, mas de provas, estou mais que munida e sei o que estou fazendo. Portanto, não temas, a justiça e a verdade são únicas e se houvesse algum risco de chance eu seria mais que exonerada e o acontece é contrário, sou muito respeitada pela SME e a prefeitura,pois sabem, quando digo que vou fazer, eu faço e muito bem feito.