Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

PROFESSOR X EDUCADOR

Comentário retirado do tópico "Outro município que se antecipou"
Anônimo disse...
"Vocês sabiam que educador não é professor?Não banalizem essa digna e nobre profissão: PROFESSOR, que exige formação específica para exercê-la." 27 de janeiro de 2010 21:37
Querida anônima,
O educador hoje é uma evolução da denominação "professor", se somos puro e simplemente professores, só iremos à classe transmitir a grade curricular ao aluno, enquanto o professor/educador se compromete com os alunos no sentido de prepará-los e transformá-los em cidadãos que lidam com conceitos, procedimentos e atitudes.
Perguntamos a você? Há como o professor e o educador andarem separados?
Quanto a formação, o Proinfantil veio para este fim, ou seja, cumprir a legislação, porque na prática já desempenhamos o papel de professor/educador.
Se você somente atua como professora, é uma escolha sua e uma perda para seus alunos. Nós Auxiliares de Recreação e Berçário, por conta do exposto acima não vemos problema algum em recebermos a nomeclatura "educador", justamente por ser o papel que o professor de educação infantil exerce.
Um grande abraço.
Abaixo colocamos links que podem te ajudar nesta reflexão, já que percebemos que você não consegue entender a atual concepção do papel do professor na transformação de uma sociedade mais justa e igualitária.

7 comentários:

Rose disse...

Pelo menos ela agora nos reconhece como educadores e não apenas como cuidadores, estamos evoluindo...

Eliane disse...

Educador: o mediador de recursos civilizatórios, integradores e educativos
Cleide Ramos*

* Diretora-presidente da MultiRio e doutora em Ciências da Educação


Matéria completa:http://migre.me/i0xw

KAREN disse...

QUE VERGONHA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL, NA NOVELA DAS OITO DA GLOBO,UMA PESONAGEM FOI PERGUNTADA SE IRIA TRABALHAR NA CRECHE E ELA RESPONDEU QUE NÃO, QUE TRABALHAVA MUITO E GANHAVA POUCO. ATÉ O AUTOR DA NOVELA JÁ VIU ISSO, MENOS OS PREFEITOS E SECRETÁRIOS QUE NÃO PREZAM A EDUCACÃO NO PAIS.

Anônimo disse...

Podemos escrever para o autor da novela e pedir pra ele tocar mais no assunto, se ele fez esta observação é por que ele não concorda com o discaso com estes profissionais.

Valéria disse...

Vou escrever para globo e contar os por menores de nossa função, quem sabe o próximo protagonista da globo não será um recreador e as nossas reivindicações estarão na boca do povo em todo o Brasil.

Educação Infantil na PBH disse...

Gostaria de contribuir para o debate acerca de educadorXprofessor. Aqui em Belo Horizonte - Minas Gerais a prefeitura tem o cargo de Educador Infantil e de Professor Municipal. Sempre existiu o de professor, mas quando ela precisou ampliar o atendimento á educação Infantil criou o cargo de educador. Foi dessa forma que ela barateou o custo da educação infantil. Nós que estamos neste cargo temos a mesma formação, a mesma jornada de trabalho, o mesmo regime de trabalho, mas recebíamos 1/3 do que os professores recebem, temos tratamento diferenciado. Depois de 5 anos conquistamos algumas coisas com 2 greves e algumas paralisações.

Ocupamos todos os espaços que discutem educação. Temos representantes no Conselho Municipal de Educação, no Conselho de Abastecimento e Merenda escolar, no sindicato, participamos de todos os fóruns, debates, visitamos regularmente a câmara de vereadores para pedir ajuda.. temos dois projetos lá que estão tramitantando (mas nunca saem do lugar por causa da força que a prefeitura exerce). Mas com isso fomos ganhando respeito das comunidades que atendemos e até de alguns segmentos do governo. Hoje ganhamos mais que antes, temos quase todos os direitos que professores, mas ainda queremos mais.

Descobrimos durante nossa luta que o fato de termos o nome de educador e não professor nos exclui de uma série de benefícios que só so professores têm, como aposentar-se com 25 anos de trabalho, acumular cargos e outros benefícios que a legislação dá apenas a professores.

Leiam nosso blog pra vcs conhecerem um pouco das nossas dificuldades e vamos nos unir para que os nós, profissionais que atuam na educaçao infantil, sejamos respeitados e enquadrados onde merecemos estar: na carreira de professor.

A luta está apenas no início e juntar forças nos dá condição de vencer mais rápido!

Nosso blog www.educacaoinfantilpbh.blogspot.com

vcs já tinham até entrado e deixado um recado... apareçam mais!

Abraços,
Cristiane Nunes - BH/MG

Meu Diario disse...

Sou agente educadora de Niteroi .Gostaria de entrar em contacto com educadoras que estão fazendo oProinfantil do Rio .estamos precisando de idéias parasemos aceiras como prof e não como meras desculpa o termo limpadoras de bundas pk e assim que nos vem em Niteroi