Rumo a regulamentação de nosso cargo!!!

Mesmo após a LDB/1996 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação) e o PNE/2001 (Plano Nacional de Educação), quando as creches deixaram de ter um caráter assistencialista e passaram a ser consideradas a primeira etapa da educação básica, onde quem trabalha em contato diretamente com as crianças é o professor e necessita ter a formação mínima em nível médio na modalidade normal para estar em sala de aula, muitos municípios continuaram a fazer concursos com a exigência de apenas nível fundamental ou médio, com nomenclaturas como auxiliar de recreação, berçário, auxiliar de creche, pajem, entre outras até os dias de hoje e como resultado disso exercemos atividades de docente, pois as creches de fato fazem todo o trabalho pedagógico, porém temos salários e direitos bem inferiores aos dos professores, mesmo tento a qualificação exigida por lei.

Convocamos aos ainda erroneamente chamados auxiliares, pajens, monitores, entre outras denominações a caminhar pela criação de nossa verdadeira identidade que é a de Professor de Educação Infantil, em muitos municípios profissionais como nós já conquistaram seus direitos agora é a nossa vez.

sábado, 6 de fevereiro de 2010

ESTAMOS FELIZES POR CONSEGUIR TRANSMITIR A NOSSA MENSAGEM.

Comentário retirado da postagem: " SERÁ QUE BUSCAMOS POR UMA ASCENSÃO INCONSTITUCIONAL?"

"Fico feliz em ver um movimento organizado em prol da educação, esse ato valoriza a cidade.É lamentável que pessoas ainda persistam em dividir, e não em somar forças para beneficiar as crianças desse Município.

Gostaria de pontuar que muitos profissionais que hoje estão na condição de auxiliares de berçário, ou recreação, dedicam-se e buscam conhecimento para aplicá-los, ainda mesmo que sem reconhecimento.

Meus parabéns a esses profissionais.Entretanto outros que se intitulam professores não honram o juramento que fizeram e estão estagnados no tempo, preocupando-se apenas com o “status” frente aos demais.Aos que estão buscando esse reconhecimento, não desistam, a organização, os fatos e o embasamento na Lei justificarão o pleito.

Rodolfo"

Agrademos ao Rodolfo por sua compreensão e apoio.
Um abraço.

4 comentários:

Professora disse...

Agracecemos a imensa maioria dos Docentes que nos apóiam e entenderam que nossa luta é legítima,que não queremos tomar o lugar de ninguém, que temos que ser parceiros,e que o mais importante é fazermos o possível e o impossível para promovermos o bem estar das crianças que tanto nos amam.

Anônimo disse...

É isso mesmo Rodolfo, essas pessoas que procuram somente o status, não estão nem aí pra educação, só querem manter a pose, estão estagnados e não fazem questão de se atualizar. Mas as pessoas que realmente fazem diferença, pessoas interessados na educação reconhecem nosso trabalho. Obrigado pelas palavras!

Paty disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Para não entender o que está escrito aqui só sendo analfabeto mesmo. O MEC deixa claro que nós somos os professores leigos que atuam na Educação Infantil.
Isto é indiscutivel!!!!